Teoria da Cor. História do Estudo das Cores e da Análise Cromática

Teoria da Cor. História do Estudo das Cores e da Análise Cromática

Contar Segredos da Aparência
teoria da cor cleide torres - Teoria da Cor. História do Estudo das Cores e da Análise Cromática
Photo by Iva Villi from FreeImages

História do Estudo das Cores

Afinal o que é Análise Cromática ? Como surgiu a Teoria da Cor? Todos sabemos o que são cores. mas você  já parou para pensar em como elas se formam e por que são como são? Provavelmente você teve um pequeno encontro com o assunto de como elas são formadas na escola, afinal, em aulas de Física, talvez Biologia ou ainda de Artes, temos uma noção geral.

Qual a história do estudo das cores e como surgiu a Análise Cromática? Mas que tal saber um pouco mais sobre esse assunto? 

TEORIAS DA COR História

Teoria de Aristóteles

A mais antiga história que temos sobre o Estudo das Cores vem com ninguém mais ninguém menos do que Aristóteles, sim, o grande pensador que ouvimos falar sempre. Ele chegou à conclusão de que as cores eram propriedades dos objetos, ou seja, assim como eles tem textura, matéria e peso, também tem cores. 

Teoria da Cor de Newton

Isso pode parecer um pouco óbvio de se ouvir, mas imagine não ter o conhecimento de que cor é luz? O nosso próximo estudioso e cientista a pensar sobre a Teoria da Cor é Isaac Newton. Ele investigou a cor e a relacionou com a luz, criando, enfim, um gráfico circular com sete cores distribuídas em toda a circunferência. Isso depois de observar a famosa imagem do raio de luz atravessando um prisma e criando as cores do arco-íris. 

Newton chegou então a conclusão de que “sem luz, não  há cor” e explicou com isso a reflexão e a refração da luz, bem como, o fenômeno da sombra. Sendo assim, cores precisam de luz. Ele percebeu que todas as cores refletidas juntas davam a cor branca, bem como todas as cores absorvidas davam na cor preta. Como resultado, percebeu que os objetos podem refletir ou absorver cores, resultando em outras cores.

Teoria de Da Vinci

O próximo da lista é o arquiteto e pintor Leonardo da Vinci, que desmentiu Aristóteles dizendo que a cor não é propriedade do objeto, mas sim da luz. Da Vinci atestou que todas as cores podiam ser obtidas a partir do vermelho, verde, azul e do amarelo. Além disso, comunicou que preto e branco não  são cores, mas sim ausência de luz ou abundância da mesma.

Da Vinci foi o pioneiro em perceber que a sombra pode ser colorida, assim como em estudar a visão estereoscópica. Ainda tentou construir um fotômetro. Mas essas são historias para outras conversas.

Teoria da Cor de Goethe

Posteriormente em 1810 foi publicado um livro com um amplo estudo sobre as cores, o chamado “Teoria das Cores” de Johann Wolfgang Von Goethe. Nesse momento a cor passa a ser entendida como um fenômeno fisiológico e psíquico, ou seja, não só como um fenômeno físico. Esse livro foi importante para a historia do estudo da cor, afinal discordava de Newton.

HISTÓRIA DA ANÁLISE  CROMÁTICA

Depois de ler sobre todos os pensadores, digamos, clássicos no estudo das cores, agora chegamos ao estudo menos geral e mais voltado a compreensão das cores como uma análise.

Chevreul

Para o começo desse estudo específico, temos Michel Eugène Chevreul, um químico  francês que tinha oficinas de tapeçaria em Paris. Ele percebeu que algumas tintas  não atingiam as cores tão vivas quanto ele queria e portanto decidiu tentar entender esse fato. Concluiu que as cores se influenciam, tanto uma a outra quanto com os objetos ao redor.

Chevreul chamou sua descoberta de “Lei do Contraste Simultâneo das Cores”, que seria uma certa ilusão de ótica causada pela proximidade de uma cor a outra.  Ou seja, o problema não estava na pigmentação da cor e nem na química das tintas, mas sim nas cores que eram colocadas juntas ao fabricar seus tapetes. 
Uma cor sobressaía a outra, fazendo-a chamar mais atenção e assim percebeu que o olho humano procura por cores que façam harmonia com outras, buscando encontrar um tom complementar que anule a força da outra. Isso ele chamou de “Harmonia Cromática”.

Quando o olho não consegue encontrar a cor desejada, ele projeta ao tom próximo da cor que se destaca um tom parecido com o complementar, e por isso, seus tapetes não obtinham a cor que ele desejava.  

Chevreul foi um dos primeiros a escrever sobre como as cores afetariam também a aparência do ser humano, escrevendo em seu livro sobre como as cores usadas nas roupas e nos cabelos, ou perto dos rostos, afetariam o aspecto da cor da pele. Podemos dizer que ele foi um dos primeiros Consultores de Imagem, não é?

Munsell

Depois disso o pintor e acadêmico Albert Munsell criou um sistema de ordenamento de cores, na tentativa de numerar todas elas, para que houvesse uma maneira matemática de obter a cor desejada. Escreveu três livros sobre seu sistema de cores, que considera três  características da cor:

  • Matriz
  • Valor ou profundidade
  • Croma ou intensidade

Assim, seria possível identificar qualquer cor em um espaço  cilíndrico com três eixos através desse arranjo tridimensional C.

Veja esses Slides com alguns detalhes sobre a Teoria da Cor. Você pode assistir outros nesse mesmo link. Aproveite!

MÉTODOS DE ANÁLISE CROMÁTICA 

Hoje em dia o método mais utilizado para a Consultoria de Imagem em relação a análise de cor para cada pessoa é o método sazonal, ou seja, o método que seleciona cores que mais combinam com o cliente através das estações do ano. 

Itten

Esse método surgiu inspirado em uma teoria criada em meados de 1920, quando Johannes Itten um artista da Escola Bauhaus (escola de arte e arquitetura do século XX), pegou a teoria de Chevreul de contraste simultâneo e a ampliou. Ele dividiu as cores de acordo com as estações do ano, em combinações harmoniosas de quatro grupos de cores. Também foi Itten que notou a personalidade e individualidade, quando seus alunos escolhiam sempre as mesmas cores para pintar. Personalidade e Individualidade são levadas em conta até hoje, LEIA MAIS EM SUA ARTE.

Outra coisa importante e utilizada no método sazonal até hoje foi a descoberta de Itten, de que a maioria de seus alunos preferiam cores que combinassem com sua característica de ter tom de pele quente ou frio. Você é quente ou frio? Descubra aqui.

Dorr

Embasado na teoria de Itten, Robert Dorr criou nos anos 30 um outro meio de análise cromática, o chamado “Color Key System”que classificou peles em quentes ou frias, revolucionando a indústria de cosméticos.

Primeira Consultora de Imagem?

Nos anos 40, Suzanne Caygill fez um profundo estudo em tons de pele e com isso criou o método de coloração pessoal, e foi conhecida como uma das primeiras Consultoras de Imagem! O que não devemos a ela não  é?

Inclusive foi ela que decidiu classificar tons de pele de acordo com as estações do ano, chamando o método de sazonal! Lembram que eu tinha comentado sobre ser inspirado em Itten? 

análise cromática cleide torres - Teoria da Cor. História do Estudo das Cores e da Análise Cromática
Foto de Sharon McCutcheon no Pexels

Método Sazonal Expandido

É o método mais usado pelos Consultores de Imagem. A base deste método é que de acordo com a coloração pessoal, se escolhe um conjunto de cores que apresentem características e dimensões que além de combinar com suas características naturais, principalmente as realcem.

cores e estacoes - Teoria da Cor. História do Estudo das Cores e da Análise Cromática
Características das Cores nas Estações

Portanto, neste método podemos usar muitas cores, desde que elas tenham a intensidade, a profundidade e a temperatura em harmonia com a sua cor e a dos olhos, e o seu tipo de pele. Desta forma, elas são analisadas pelo Consultor de Imagem levando se em conta os vários grupos em que se divide:

Desde então temos usado esse método de análise cromática, para classificar tons de pele e eleger qual cor combina mais com você! Que tal fazer sua Análise Cromática e começar a ser sua melhor versão?
E ai? Você curtiu esse artigo? Eu Gostei!

Escrito por
Cleide Torres
Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O que Eu faço,

Cleide Torres

Cleide Torres auxilia clientes em autoimagem e expressão. Especialista em Consultoria de Imagem e Visagismo, sua metodologia incentiva a se observar em detalhes e alcançar a imagem mais adequada aos seus objetivos. Cleide Torres ajuda você a cuidar bem de si mesmo!

#segredosdaaparencia

Cleide Torres Cabelos Cor e Forma Visagismo
Cleide Torres Imagem & Visagismo

“/Meu objetivo é equilibrar a Individualidade que vem de dentro com a Imagem que se vê por fora/”

Brazil Chapter

Cleide Torres AICI E FIPI Member
Cleide Torres Member

EBOOK

Ebook grátis Visagismo Cleide Torres 1 - Teoria da Cor. História do Estudo das Cores e da Análise Cromática